Corredores ecológicos

Para ajudar na recuperação de áreas degradadas, a Empresa mantém o Programa Conectividade nas Unidades do Polo São Paulo, na região do Pontal do Paranapanema, onde estão localizadas duas unidades de conservação: a Estação Ecológica Mico-Leão-Preto, distribuída por quatro municípios, e o Parque Estadual Morro do Diabo, em Teodoro Sampaio. Nessas áreas, são formados corredores ecológicos que contribuem para melhorar o fluxo gênico entre sementes, organismos e pólen, auxiliando na reprodução de espécies e na qualidade de áreas de mata nativa, e diminuindo o risco de extinção da flora e da fauna locais.

Para que essa atividade seja realizada com sucesso é importante a conscientização e participação dos proprietários de terras. Desta forma, a Empresa põe à disposição destes parceiros assistência técnica para a identificação das áreas mais adequadas à implantação de Reservas Legais. Além de participar de iniciativas de cunho socioambiental que mostrem a importância de preservar a fauna e a flora locais.

Na safra 2014/2015, as áreas protegidas pela Odebrecht Agroindustrial somavam: 40.952 hectares de Áreas de Preservação Permanente (APP), 129.998 hectares de Reservas Legais (RL) e 264 hectares de Prade. Elas estão localizadas nas regiões de Pontal do Paranapanema, Cachoeira Alta, Mineiros, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Costa Rica e Alto Taquari. Para a proteção e restauração das áreas ligadas ao Parque Nacional das Emas, a Empresa conta ainda com a parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). |GRI G4-EN13|