Mudanças Clim��ticas|GRI G4-DMA, G4-EN15, G4-EN-19|

Reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa (GEE) representa um diferencial da Odebrecht Agroindustrial no desafio global de construir um novo modelo de desenvolvimento, baseado numa economia de baixo carbono.  A Empresa garante a geração de energia limpa e renovável, contribuindo significativamente na captura de CO2 da atmosfera. Para acompanhar e potencializar este benefício gerado pelas suas atividades e produtos, a Empresa realiza o inventário de emissões de GEE. Este estudo avalia as emissões anuais associadas à produção de açúcar, etanol (anidro e hidratado) e energia excedente produzidos pela Empresa, levando-se em consideração o ciclo de vida de cada produto.

Assim, é possível verificar a magnitude da mitigação proporcionada pelos produtos e pelo sequestro de carbono nos estoques de biomassa, dimensionar as emissões líquidas e verificar o potencial para reduzir as emissões (ou aumentar a mitigação), considerando modificações /melhorias nas diversas etapas.

Na safra 2014/2015, as nove Unidades de produção da Odebrecht Agroindustrial processaram 23,8 milhões de toneladas de cana, produzindo 590 mil m3 etanol anidro, 1.089 mil m3 etanol hidratado, 479 mil toneladas de açúcar
e 1.520 GWh de energia elétrica excedente.

As emissões de gases de efeito estufa desde a produção de insumos até o uso final dos produtos, atingiram 1,3 milhão de t CO2eq; as emissões evitadas com o uso do etanol (substituindo gasolina) e da energia elétrica (substituindo energia da rede) foram de 3,8 milhões t CO2eq. Quando considerada a inclusão do aumento dos estoques de carbono no solo e na vegetação, o LUC (Land Use Change) proporcionadas pelas Unidades da Odebrecht Agroindustrial, a contribuição ainda é maior.

O saldo positivo de 3,9 milhões t CO2eq significa que a Empresa e seus produtos capturam muito mais do que emitem no seu processo. Desta forma, representa um importante papel de mitigador de emissões na economia nacional.

(*) O GHG Protocol, metodologia adotado pela o GRI, não computa as emissões evitadas pelo uso do produto no cálculo inventariado.

(**) Land Use Change (LUC): As emissões derivadas da mudança de uso da terra (variação dos estoques de carbono no solo e acima do solo), na Odebrecht Agroindustrial resultam em aumento do sequestro de Carbono, levando a maior mitigação líquida.

 

Outras emissões atmosféricas, em toneladas |GRI G4-EN21|

POLOS SÃO PAULO ELDORADO SANTA LUZIA GOIÁS ARAGUAIA TAQUARI  
  Alcídia Conquista do Pontal Eldorado Santa Luzia Rio Claro Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari TOTAL
NOx 22,43 104,91 233,61 772,67 154,78 515,00 313,00 895,70 231,74 3.243,8
Material particulado 26,29 119,20 81,27 254,22 66,76 867,00 260,00 363,79 619,11 2.657,64