Endividamento

A Empresa fez a renegociação de dívidas (novas dívidas/alongamentos/rolagens) no montante de R$ 7,2 bilhões durante a safra. Estas captações, a maior parte de longo prazo, reduziram de forma expressiva (41,8%) a dívida alocada no curto prazo, transferindo-a para o longo prazo. Desta forma, encerrou a safra 2014/2015 com apenas 22,7% das dívidas alocadas no curto prazo, ante a 44,4% na safra anterior.

A dívida líquida total, desconsiderando a operação de debêntures realizada com a Odebrecht Engenharia de Projetos (OEP) em novembro de 2014, caiu R$ 1 bilhão (9,2% de queda - 2014/2015: R$ 10,3 bilhões x 2013/2014: R$ 11,3 bilhões). É importante destacar que a operação de debêntures (saldo de R$ 2,2 bilhões em março de 2015) precisa ser observada conjuntamente com os recebíveis pela segregação dos ativos de energia, de cerca de R$ 2,8 bilhões em março de 2015.